Monday, June 25, 2007

Porlamar

Porlamar, alguém sabe onde fica ?

Algures em 1989, trabalhava eu na TAP e tinha finalmente direito à minha primeira viagem de borla.
Depois de afastar os destinos mais comuns e após algumas sugestões dos meus colegas mais viajados optei por uma semana de praia na desconhecida Isla Margarita no Caribe Venezuelano, cuja capital é Porlamar.

Viajando sozinho e não sendo dado a grandes aventuras, optei por me deslocar a uma agência de viagens para garantir a estadia num hotel razoável para a minha capacidade financeira (pouca).
Munido de um bilhete de avião Lisboa-Caracas-Porlamar e de um voucher para o Hotel Puerto Cruz lancei-me nessa viagem inesquecível.
Como sempre o avião da TAP saiu umas horitas atrasado, fazendo-me perder a ligação nesse mesmo dia a Porlamar.
A primeira noite foi passada num pardieiro junto ao aeroporto cuja imagem revejo nos filmes em que o herói se esconde num hotel de estrada, com uma piscina meio cheia de água salobra e verde, enquanto beberica um rum sem gelo e observa de esguelha as prostitutas que passam pelo bar.
No dia seguinte, saída para a Isla Margarita no primeiro voo da manhã e aqui chegado entro no primeiro táxi e todo orgulhoso ordeno no meu melhor portunhol:
- Yo queria ir para el hotel Puerto Cruz, por favor
- Cuál es su Hotel ?
Reforcei o pedido entregando o voucher, para o motorista poder ler o destino
Respondeu-me uma gargalhada forte:
- Ese Hotel no es aqui ! Ese Hotel es en Caracas, en el Continente.
Acho que fiquei lívido, assustado, desanimado, tudo no mesmo instante, mas o taxista rapidamente me ajudou
- te puedo llevar a outro hotel, quieres ?
- si, pero que sea barato !
E aqui socorro-me novamente da minha memória cinéfila: estão a ver aqueles hotéis onde os maus da fita eram apanhados, quartos sujos, com uma ventoinha barulhenta e a que faltava uma das pás, com um recepcionista de bigode retorcido, gordo e oleoso, pois, tal e qual.
Perdendo o amor ao pouco dinheiro que levava, acabei por pedir:
- me lleva al mejor hotel de la isla !
Finalmente pude desfrutar de um local paradisíaco com belíssimas praias e recordo as bebidas junto à piscina ao final do dia, as ostras muito baratas e apanhadas na hora, servidas cruas com lima, o sol espectacular mas também recordo a minha falta de coragem para me meter com as lindissimas turistas que por lá andavam (e sozinhas, buá), a minha falta de capacidade financeira que não me permitiu alugar um Wrangler para explorar a ilha (ainda muito selvagem na altura) bem como realizar uma excursão a Los Roques (espectacular !).
Para terminar ao final do 3º dia verifiquei que tinha feito mal a conversão entre Escudos e Bolívares e que caminhava rapidamente para a bancarrota o que me obrigou a voltar para Portugal a meio das férias que tinha programado.
Fica para a próxima (que ainda não aconteceu) !!


3 comments:

VanDerGraff said...

Ganda história!
Há quanto tempo foi isso?
Pelos vistos no tempo em q ainda não havia net, para ires ver onde estava o hotel!...
Margarita agora é um destino montes de bem.
K é q fazias na TAP, só por curiosidade?
Já tinhas pago o tal hotel q afinal era no continente? Conseguiste o arame de volta - e já agora, uma indeminização?....
VannDerGraff(at)gmail.com

VanDerGraff said...

Pah, desculpa lá, depois é q vi que tinhas dito 1989...

VannDerGraff(at)gmail.com

nicha said...

Caro Vandergraff,
Como já reparaste a história tem uns aninhos e ainda não havia Internet, telemóveis, a utilização de cartões de crédito era restrita... eh pá, estou a ficar velho!!!
Da TAP tenho excelentes recordações tendo iniciado por aqui as minhas lides na área da Informática, bem como o meu vício por viagens.
E sim, a agência de viagens devolveu-me o dinheiro.